Geração 5

Esqueça tudo que você sabe sobre o Gol. O carro que você vê agora, e que a partir de julho vai começar a inundar as ruas brasileiras, guarda muito pouca coisa do campeão de vendas. Só restaram o nome e as lâmpadas, garante a VW. É a mudança mais radical do modelo em seus 28 anos de existência.

Traseira

O modelo trará, na versão de entrada, motor bicombustível 1.0 l VHT de 76 cv de potência a 5 250 rpm e 10,6 kgfm de torque a 3 850 rpm com álcool. Usando gasolina, os números cairão para 72 cv e 9,7 kgfm nas mesmas rotações. Haverá também o propulsor VHT
de 1.6 l, que dará ao Gol 104 cv a 5 250 rpm e 15,6 kgfm a 2 500 rpm com o combustível vegetal e 101 cv e 15,4 kgfm nessas faixas de giro com petróleo. O novo Gol aposentará o bloco de 1.8 l e, ainda que por enquanto, não terá a opção 1.4 l, aposta de alguns.

Painel

O painel continua sendo feito com plástico rígido, mas ficou bem melhor que o do Fox. O quadro de instrumentos é vistoso, com velocímetro e conta-giros (menos na versão básica) do mesmo tamanho, iluminação azulada e até computador de bordo opcional. O volante é semelhante ao do Fox, e pode ter os comandos do rádio embutidos. Também como opcional, o Gol passa a oferecer airbags frontais e ABS.

O Gol estreará oficialmente em pleno dia mundial do descanso, dia 29 de junho(domingo). Só que, para a marca alemã, essa data será celebrada com um grande show da cantora baiana Ivete Sangalo na fábrica de São Bernardo do Campo, SP.

História:

Lançado em 1980, é considerado o maior sucesso da Indústria automobilística no Brasil de todos os tempos. É também o primeiro e único carro brasileiro a ultrapassar a marca de 5 milhões de unidades produzidas, tornando-se, em fevereiro de 2001, o primeiro e único a superar o Fusca em vendas.

Primeira Geração (Projeto BX) – 1980
Geração 1
Estreou com motor carburado de corpo simples e refrigerado a ar, herdado do Fusca, um 1300, que lhe rendeu o apelido de “batedeira” devido ao barulho característico proveniente do motor, com a opção da utilização de gasolina ou álcool como combustível.

Segunda Geração (Projeto AB9) – 1994
Geração 2
A segunda geração, conhecido como Projeto AB9, que trazia uma carroceria totalmente nova, moderna que apresentou linhas mais arredondadas em relação à versão anterior, assim ganhando do público o apelido de “Gol Bola” no Brasil. Apesar da Volkswagen apresentar um projeto de carroceria novo, a plataforma era basicamente a mesma adotada em sua primeira geração, ajudando a manter soluções praticamente idênticas no que diz respeito a suspensão, motorização e freios.
Foi lançado nas versões 1000i, 1000i Plus além das CL, GL, Furgão e GTi nas versões de motorização 1 litro, 1,6, 1,8 e 2-litros respectivamente.

Terceira Geração (Reestilização) – 1999
Geração 3
Foi feita uma pequena mudança na carroceria, que fora ‘apelidada’ de Gol Geração III. A qualidade dos plásticos empregados continuava não sendo boa e, da mesma forma que o Gol bola,apresentava problemas de deformação e quebras.

Quarta Geração (Reestilização) – 2006
Geração 4
O Gol sofre novas alterações: novas dianteira e traseiras, novo painel (seguindo a tendência dos automóveis “de entrada” da marca), acabamento interno e suspensão mais elevada Disponíveis nas versões City, Plus, Power. Em setembro e outubro de 2006 o seu principal concorrente Fiat Palio passou em numeros de vendas, contudo, o Gol fechou o ano como o carro mais vendido do país. Em agosto de 2007, novamente o Fiat Palio volta a passar o VW Gol. A Volkswagen continua a deixar a desejar no quesito acabamento e conforto mesmo com as alterações na nova linha do Gol G4 / 2008. Desde seu lançamento a estabilidade de sua suspenção é muito elogiada.

Domingo teremos todas as novidades sobre a geração 5.

Fonte
Fonte

Comments

comments